Pages

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O mundo gira, o amor gera.

"Qualquer amor já é
um pouquinho de saúde
um montão de claridade
contribuição
pra cura dos problemas da cidade

Qualquer amor que vem
desse vagabundo e bobo
coração atrapalhado
procurando o endereço
de outro coração fechado"

                                                                          Lenine - Amor é pra quem ama. (cd chão)




Os dias eram círculos viciosos, andava parava no mesmo lugar e depois retrocedia pelo mesmo caminho. A vida era uma roda gigante, onde balançava no mais alto, o tremor tomava conta de meus pés e a náusea do meu estomago.
Brinquei nas esferas de aços, permaneci dentro do globo da morte e no meio do mundo girei, girei, girei sem parar. Na tontura desfaleciam meus sentidos, embaralhei minha visão e tudo se misturava sem permanecer. Foi Indigesto. A confusão instalava-se no ar, a respiração tornava-se cada vez mais fraca, a voz mais rouca. Silenciei.
Eu caia, enquanto o mundo ainda girava.  A chuva caia fina e batia na pele, que doía. Meu corpo encharcava-se com pequenas gotas frias, e eu enfim despertava. Nesse instante que acordei, tive saudade e um desejo de me derramar como a chuva. Eu estendia as mãos para o alto e puxava o céu pra perto. Pude então sentir paz.
Recomeça então o desenredar. Nada esteve oculto a na confusão dos dias. A maré de vazios, na verdade nunca existiu. O amor sempre permaneceu dentro de mim, um pulso de me conservar para sempre viva.
Retomei então meus sentidos, guardando em minhas mãos um punhado de estrelas no qual levei na direção dos meus olhos que resplandeceu a me guiar e a entender que amar é sustentação. É a manifestação da sabedoria tenra vinda do alto para a terra que cria, molda e faz o novo.
Portanto, eu vivo, me movo e existo pelo amor que habita em mim. 
Em poesia quero gera-lo. Em ação. Geração.

O mundo só gira, o amor sempre gera. 

Bruna Fávaro




Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração. 



At 17:28

4 comentários:

  1. Maravilhoso perceber que girando nesse enorme mundo nos deparamos com textos de tanta beleza como este. Beijooos.

    ResponderExcluir
  2. O Amor é o próprio Sopro da vida que canta em nós sua melodia ...AHHHHH....O AMOR!!Um jogo capaz de deixar nossa arquibancada interior em permanente suspense e admiração...Adorei seu blog.bjs

    ResponderExcluir
  3. Belo texto, na realidade, belo blog!
    Gostei muito das obras postadas aqui.
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  4. "O mundo só gira, o amor sempre gera." Incrível definição, tão simples, mas cheia de verdade e sabedoria! Incrível como suas palavras se entrelaçam e tecem um belo texto. Parabéns!

    ResponderExcluir

On line

Pesquisar este blog

Postagens populares

Total de visualizações de página