Pages

sexta-feira, 18 de março de 2011

Ao tocar uma canção ao vento


"Sabe, para mim a vida é um punhado de lantejoulas e purpurina que o vento sopra. Daqui a pouco tudo vai ser passado mesmo - deixa o vento soprar, let it be..."

Caio Fernando Abreu




Gosto do vento como gosto de música
E a cada toque, agudo ou grave,
Sinto liberdade de uma criança que se aproxima
lentamente, e é levada no colo.
Vento, traz e leva, leva e traz, eu fico...
Fico a imaginar o que foi que ele levou, porque eu fiquei,
balancei como um coqueiro alto, em estado de reverência,
E prostrei-me de encanto pelo dom de aqui estar 
Quis sorrir, recuei-me, 
mas o vento enfim trouxe a alegria engasgada na garganta, presa em definições.
A melodia permaneceu nos pássaros ostentados 
da possível liberdade que os deram de não serem livres.
Fadados a um canto sempre alegre,
Mas os pássaros são mais sábios, 
não param de cantar por não serem ouvidos.
Eles cantam por essência.
E meu canto é desacostumado a letras e obrigações.
Eles só sabem que cantam e o porquê já lhes é demais,
e eu aprendi que sou livre, inclusive de definições quanto à liberdade.
Por que minha fome não é de liberdade, é de vida.
E enquanto vivo, só quero liberdade se for despercebida, 
como o vento que bagunça meus cabelos.





Por Bruna Fávaro e Rafaelle Melo.*


(...)

Como pode alguém sonhar
o que é impossível saber?
- Não te dizer o que eu penso
já é pensar em dizer
e isso, eu vi,
o vento leva!
- Não sei mais
sinto que é como sonhar
que o esforço pra lembrar
é a vontade de esquecer...
E isso por que?
Diz mais!
Se a gente já não sabe mais
rir um do outro meu bem então
o que resta é chorar e talvez,
se tem que durar,
vem renascido o amor
bento de lágrimas.
Um século, três,
se as vidas atrás
são parte de nós.
E como será?
O vento vai dizer
lento o que virá,
e se chover demais,
a gente vai saber,
claro de um trovão,
se alguém depois
sorrir em paz.
Só de encontrar




Rodrigo Amarante  ( los Hermanos) 

8 comentários:

  1. Simplesmente fantástico.
    Senti a sua falta!

    Por onde andava?

    Um beijo Bruninha!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Perfeito, adorei as palavras tão bem ditas.
    beijos;*

    ResponderExcluir
  4. E cá está nossa parceria !

    O que me emociona mais não é ser sua parceira nas linhas, mas na nossa amizade e vida !



    "O vento vai dizer
    lento o que virá,
    e se chover demais,
    a gente vai saber,
    claro de um trovão,
    se alguém depois
    sorrir em paz.
    Só de encontrar"

    sem mais...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. http://serendipityhw.blogspot.com/

    Este é meu novo blog!
    O anterior foi excluído devido a pessoas de má fé! Troque constantemente sua senha viu?!
    Beijão.
    Felicidade e paz!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, muito belo seu blog"
    Lindo texto"
    Vou seguir"
    Bjws"
    http://nostudinhos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Chorei, que lindo cara *-*

    ''Por que minha fome não é de liberdade, é de vida.
    E enquanto vivo, só quero liberdade se for despercebida,
    como o vento que bagunça meus cabelos.''

    ResponderExcluir

On line

Pesquisar este blog

Postagens populares

Total de visualizações de página