Pages

quarta-feira, 17 de março de 2010





Há um silêncio que grita em meio ao do silêncio das manhãs
Da espera, do incomodo , do encontro que não acontece
O que aspira em mim é algo que não sei contar, é desejo do que não existe, é veneno que não mata, instiga , interfere, fere!
Existe uma busca que os olhos não alcançam ,se entrelaça nas infinitas palavras ainda não ditas.
Sou calmamente feliz por fora, me arrebato pra dentro me enfureço em mim.
O lugar onde estou já não é mais meu mas está no meu eu loucamente absorvido.
Amaria ter compreensões dos outros porém sou contráditoria ...
Não sei me perceber, já planejei fugas, desculpas para não atrair a minha própria traição...
sim EU ME TRAIO!
sem perceber , como algo que vem sem convite






penetrando ,me envolvendo com uma velocidade surpreendente.






Por instantes me vejo tão de perto, tão intimo , tão dentro , tão fora de mim.
Tudo começa aqui, das meras distrações, do pensamento vagos cheio de lembranças..
Do convívio distorcido, das inúmeras vezes que me perdi em ti
Porque de me perder em você, me perco em mim, me embaraço, entrelaço.
Mergulho intimamente, te sinto como se fosse tua essência, tua presença e só.
Se sou eu , se sou você, já nem importa mais, só sei que essa loucura me aproxima do que está distante, do que nunca vi mas que posso de alguma forma sentir,do que tenho certeza que existe, que nasceu em algum instante da vida, por frações de segundos, como raio.



Bruna Fávaro

3 comentários:

  1. Amiga!! Lindo demais isso!! é bom ver vc se expressando e transformando suas angustias em respostas!

    Vc ganha, e nós tbm!

    ResponderExcluir

On line

Pesquisar este blog

Postagens populares

Total de visualizações de página